Costumo produzir, em casa, coalhada seca, ou iogurte grego e, às vezes, chancliche, aquele queijo árabe. Como subproduto dessa
produção eu obtenho soro de leite,
em grande quantidade. Quando faço iogurte grego, sobram de 400 a 450 ml de soro. Quando faço chancliche, ou coalhada seca, sobram 900 ml, para cada litro de iogurte que eu dessoro. Já aproveito esse soro de algumas maneiras. Por exemplo, no
lugar do leite em algumas receitas. Segundo pesquisa, divulgadas a algum tempo, no Globo Repórter, o soro também é bom
para a memória. Podemos aproveitá-lo
de outras maneiras. Mesmo assim, aproveitando o soro em casa, para demolhar feijão, diminuindo seus
fitatos e oxalatos, ou usar o soro no lugar do leite, em algumas receitas, ou no lugar da manteiga. Ou usar o soro para melhorar a memória, sempre sobra um pouco de soro, pois depois de 25 dias,
armazenado em geladeira, ele fica inutilizável! Muito ácido, com cheiro forte, com gosto estranho. Não dá para usar mais. Depois de várias pesquisas na internet, para descobrir novas
formas de aproveitar o soro. Descobri que ele pode
ser usado na horta! De várias maneiras. Para extraí-lo, coloque o
iogurte para escorrer, em um coador de café, ou mesmo em um pano ou fralda, e recolhe o soro. Esse é o soro extraído. Ele é rico em cálcio, potássio e magnésio. Além de ser riquíssimo em bactérias ativas, principalmente lactobacilos. Lactobacilos que fazem parte do grupo dos decompositores
primários, juntamente com as leveduras, sendo responsáveis pelo início do processo de
decomposição da matéria orgânica. Abrindo caminho para o surgimento outros tipos de microrganismos, que também consomem
a matéria orgânica. No processo metabólico do lactobacilo ele produz um ácido,
chamado ácido lático, que é um ácido de
cadeia ramificada curta, que pode controlar enfermidades como fusarium e outros tipos de patógenos. Esse ácido também ajuda a solubilizar elementos químicos que estão no solo, não disponíveis para as plantas, tornando-os disponíveis. Além do que, o lactobacilo melhora a disposição de nutrientes no composto
e no minhocário, devido ao fato dele solubilizar os
elementos químicos, Eles também controlam
odores, neutralizando principalmente os odores, ou gases, de amônia, comuns durante o processo
de compostagem. Como vamos usar o soro na nossa horta: Primeiramente, devemos
levar em conta que o soro já é naturalmente ácido. E, para obter seus benefícios, devemos usá-lo em
pequena quantidade. Sempre a diluição será 1 ml por litro de água. Tenho aqui 10 ml, o regador de 10 litros. Então, basta misturar os 10 ml aqui. E vamos usar essa diluição para regar as plantas em períodos mais quentes, verão, a cada 3 semanas. Regar uma vez a cada 3 semanas. Como a temperatura mais amena, uma vez por mês é o suficiente. Alguns cuidados com o soro: Depois de extraído, sempre
guardá-lo fechado, em geladeira. O soro, até 7 dias,
depois de extraído, podemos usá-lo para regar qualquer
tipo de planta. Após 7 dias, os lactobacilos que estão dentro do soro, ainda vivos, continuam consumindo a
lactose que ali está, tornando o soro mais ácido ainda. Por isso, depois de 7 dias, não devemos usá-lo em
qualquer tipo de planta, pois o soro está muito ácido. Podemos usá-lo em plantas que gostam de pH baixo, como, por exemplo: azaleias, hortênsias, fruta do milagre, que
gosta bastante de solo mais ácido, e coníferas em geral. Em plantas que gostam
de pH ácido podemos regá-las a cada duas semanas. Na composteira, quando da preparação da pilha, usamos a mesma diluição, de 1 ml por litro de água, para regar a composteira com essa mistura. Depois, continuar regando
a cada 15 dias, por mais 4 vezes. Se a pilha de composto
já está pronta, podemos regar de 2 a
3 vezes essa pilha, em um intervalo de 20 em 20 dias, ou 30 em 30. No minhocário, usamos para pulverizar o minhocário mensalmente. Algumas dicas as quais devemos ficar atentos quando usamos o soro de leite: Depois de 15 dias
em geladeira, não devemos mais
usar o soro na horta. Podemos usar para
outras finalidades, mas não na horta! Para fazer a diluição
do soro, sempre usar água sem cloro, declorada. Seja água da chuva, ou água que foi deixada por 24 horas ao ar livre, em um recipiente,
para o cloro evaporar. Pois, senão o cloro acaba matando os lactobacilos do soro, obtendo assim, menos
benefícios do soro. Regar somente a
base das plantas. Evitar molhar as folhas das plantas, principalmente as
folhas mais sensíveis. Outra dica importante: sempre usar o soro que foi extraído de iogurte, que utilizou como coagulante bactérias. Não utilizar soro que foi extraído de iogurte coagulado por vinagre,
limão ou algum ácido. Pois este tipo de soro não é recomendado
para usar na horta. Gostou do nosso vídeo? Então, dá um gostei
no Youtube, compartilhe este vídeo e se inscreva no nosso canal. Até o próximo vídeo! Tchau!